03 setembro, 2012

Beijinhos, abraços e o pai de primeira viagem

O domingo foi ótimo, fiquei pelo quintal afora com meu filhote. Comeu ameixa (aquela amarelinha sabe?) e adorou. Agora gosta das frutas mais azedinhas. Não quer  nem olhar pra banana, haha. 

Aprendeu a dar beijinho de esquimó e é fã do meu abraço apertado. 

Tava um carinho comigo. Emerson trabalhando então ficamos só nós dois.




***

Depois das seis arrumava o pititico pra irmos à igreja. Na hora de colocar o tênis foi um chororô danado.  Fiquei sem entender e achei que ele não queria calçar. Tá bom. Coloquei uma sandália e pensei: 'se chorar vai descalço mesmo'.

Fui fazer a mamadeira pra levar (porque ele não jantou) e lá vem o chororô de novo. Sai do lado de fora com ele, ele se distraiu, se acalmou e fomos. É bem tranquilo porque a igreja é pertinho da nossa casa.

Ele tava ótimo, cantando, dançando, neném mais fofo.

Já passava das oito ele começou a reclamar. Era fome e sono. Dei a mamadeira e ele já tava cochilando quando de repente, se levanta e vomita tudo. Ai meu Deus! Sai leite até pelo nariz! Tadinho do meu filho. Ele olha pra mim assustado eu o abraço (sem me importar de sujar a minha blusa) e digo: 'vamos pra casa meu amor, vai ficar tudo bem'.

Depois de um banho coloco ele pra dormir. Minha mãe me liga e conto pra ela o ocorrido. Ela diz pra observá-lo, que deve ser por causa dos dentes (eles tem levado a culpa de tudo) ou por causa da alergia.

Uma hora da manhã ele tava resmungando e fui até lá.

O peguei no colo e ele tava ardendo em febre. Chamo meu marido. Emerson fica com ele enquanto pego o remédio. O pititico faz vômito. O papai que não acostumado com o filhote dodói (é a primeira febre alta) fala logo:

- ele tá muiiito quente. Vamos levar ele pro médico.

Eu respondo (calma, podem acreditar):

- eu vou dar o remédio e vamos esperar. Se a febre não baixar...

Ele toma o medicamento numa boa. Tiramos a calça dele e o levamos pra nossa cama. Não quis ficar lá, gosta do seu espaço.

Dei mamadeira, coloquei ele no berço e a noite inteira ia ver como estava.

Acordou bem, um pouco abatido, mas sem febre.

Eu pensei em ficar com ele, mas minha mãe disse pra eu ficar tranquila que ia medindo a temperatura, e qualquer coisa me ligava. Sim, é muito bom ter a minha mãe pra cuidar do meu filho. Eu consigo ficar segura.

***

Liguei pra ela ainda de manhã e o pititico estava bem, a febra não voltou. Já tinha até comido metade de uma pera, rs. Ufa, graças a Deus!

Tranquilizei o papai preocupado e pensei:

'nem só as mães de primeira de viagem se descabelam e querem sair no meio da madrugada por causa de uma febre...'




2 comentários:

  1. Nossa!!!que susto hein, mas ainda bem que ele está melhor,ele é uma graça.bjus

    ResponderExcluir